Go Free – a continuação no interior alentejano

Go Free – a continuação no interior alentejano

28 Dezembro, 2018 0 Por Vitor Martins

A manhã acordou solarenga pela Aldeia da Luz! Infelizmente, ao acordar tivemos novidades não muito boas da tempestade que assolou a zona centro do país, mas felizmente só com danos materiais.

Por aqui tudo estava tranquilo depois da trovoada de ontem. Arrancámos na auto caravana em direcção ao centro da aldeia para tomar o pequeno almoço, mas como era domingo, não se via ninguém na rua.

Passámos também pelo Museu da Luz, que estava fechado. Aqui retrata-se um pouco da história da antiga aldeia da Luz, que foi alagada com a construção da Barragem do Alqueva, uma obra bastante útil para a população do interior alentejano, pois conseguiram regadios para fazer exploração agrícola de tão vasta área.

A linda aldeia da Luz, foi construída de raíz em 2002. Grande parte do território desta freguesia foi submerso pelas águas da albufeira da Barragem do Alqueva. Foi construída uma nova aldeia, situada a cerca de três quilómetros da velha povoação, para onde se mudaram todos os habitantes da Luz. Em 2002 foram transferidos para as novas casas 423 habitantes. Em 2012 eram 297 os moradores. E cerca de cem casas estavam desocupadas.

Seguimos em direcção a Mourão para tomar um belo pequeno-almoço, numa pastelaria tradicional portuguesa, onde fomos tratados como se estivéssemos em casa… Para digerir fomos visitar o Castelo de Mourão. 🙂

Um lugar muito bonito, pena realmente estar fechado ao público e assim não podemos apreciar as vistas do cimo do castelo.

Era hora de partir, estávamos a poucos quilómetros de Espanha, decidimos ir “virar” lá.

Em toda esta zona a paz, a tranquilidade e o sossego, são palavras de ordem…

Seguimos em direcção a aldeia mais quente de Portugal, a Amareleja! Por aqui já se registaram 47,4 graus!! Mas nós queríamos visitar aquela que já foi a maior central solar foto-voltaica do mundo!

A central solar foto-voltaica de Amareleja, tal como o nome indica é uma central de energia solar foto-voltaica. Com capacidade instalada de 46,41 megawatts de pico iniciais, a central já está a funcionar plenamente, produzindo cerca de 93 GWh por ano, o suficiente para abastecer 30 mil habitações. Está construída num terreno de 250 hectares. Com 2.520 seguidores solares azimutais (são dispositivos que orientam os painéis para captarem sempre sol), equipados com 104 painéis solares cada um, a central foi a maior do mundo em 2008, em potência total instalada e capacidade de produção, actualmente está em 18º lugar.

Uma obra fantástica!!

Mas era hora de seguir caminho, tínhamos de fazer cerca de 60kms para irmos almoçar a Serpa!

Por aqui almoçámos, mas o tempo era curto e como infelizmente, não conseguimos estacionar a auto caravana perto do centro, decidimos partir. De Serpa a Beja são cerca de 70kms que fizemos por uma estrada secundária fantástica, onde vimos, grandes produções de vacas, porcos e oliveiras.

Fomos visitar uma herdade de produção de azeite, mas antes passámos pela ponte dos comboios que liga Lisboa a Beja no rio Guadiana.

O Monte do Olival é lindíssimo!

Beja era já ali, e era lá que iríamos passar o resto da tarde e a manhã seguinte, explorando a cidade e visitando um amigo!

Chegámos a Beja, já por lá tínhamos estado dez anos antes, noutra grande viagem pelo interior alentejano, mas só nós os dois.

Por aqui tudo é tranquilo. Tínhamos o resto da tarde para podermos explorar a cidade. Decidimos subir ao castelo e apreciar as vistas…

A beleza desta cidade e inquestionável! Transmite-nos paz e tranquilidade, e a sensação que parou no tempo…

O centro da cidade, como muitas cidades por Portugal inteiro, está deserto! Em redor da cidade, dezenas de centros comerciais, que até por vezes nos questionamos, como conseguem sobreviver…

Mas o pior ainda estava por ver… Decidimos ir visitar o Aeroporto de Beja…

Sim, Beja tem um aeroporto novo!!! Chegámos ao aeroporto, por volta das 18h, passámos lá cerca de uma hora, nem uma mosca se ouvia!!! Tudo fechado, num sábado à tarde!!

A única coisa que puxa pessoas para o aeroporto é um Airbus A380 que está desde Julho estacionado na pista, ainda não se sabe muito bem para quê nem porquê!! Mas realmente, e por incrível que pareça, é o único lugar em Portugal onde podemos ver o maior avião de passageiros de mundo…

Duas máquinas!!! 😀

O dia estava a terminar, fomos estacionar a auto caravana, no parque de auto caravanas da cidade. Está localizado nos arredores da cidade e podemos dormir descansados sem qualquer custo, só não podemos fazer manutenção.

Antes de ir dormir, as brincadeiras habituais das crianças, fazem nos perceber que esta foi muito mais que uma simples viagem pelo interior alentejano.

Será uma viagem que ficará marcada para o resto da vida!

E assim num ápice chegou o último dia de viagem na auto caravana… 🙁

Beja acordou com bastante chuva e acabou por alterar nos um pouco os planos. Tínhamos combinado com o amigo Joaquim Matos, encontrarmos-nos na Pastelaria Luiz da Rocha, uma casa com 125 anos de história e onde o nosso amigo trabalha, mesmo no centro de Beja.

Tomámos um belo pequeno almoço e bebemos um café numa chávena especial… 🙂

Era hora de regressar, o tempo estava chuvoso e tínhamos cerca de 160kms para fazer de auto caravana e mais 240kms de carro, mas antes o amigo Joaquim ofereceu-nos um doce típico da Luiz da Costa! E que maravilha! 🙂

A viagem com chuva foi um pouco atribulada, com filas de espera, mas nada demais… Passadas cerca de três horas chegávamos ao Montijo para deixar a “nossa” Évora… 🙁

Foram dias fantásticos e uma experiência única!

Voltaremos a repetir com certeza com a Go Free! <3