Riga – Letónia

Riga – Letónia

21 Setembro, 2018 15 Por Vitor Martins

Chegámos a Riga por volta das 20h vindos de Tallin. A viagem correu bem, com conforto e paisagens lindas.

A estação dos autocarros fica muito perto do centro da cidade e deu para nos deslocarmos a pé até ao nosso hotel tranquilamente.

No caminho até ao hotel, ficámos a perceber que por aqui como em todo o mundo, que tem “cash” pode comprar algumas coisas que outros não podem… 😀

Chegámos ao nosso hotel por volta das 20h30, deixámos as malas e fomos passear pelo centro da cidade. O centro é pequeno mas extremamente acolhedor. Estávamos a adorar a cidade e ainda só aqui estávamos à uma hora.

Jantámos e fomos até a zona da linda catedral de Riga, onde por volta das 23h, o cenário era este!!

Por aqui respiramos paz e tranquilidade!! Fomos vagueando pelas ruelas nas imediações do nosso hotel, mas por volta da meia noite o cansaço apoderou-se de todos e fomos descansar…

O dia seguinte amanheceu bastante solarengo, óptimo para explorar a cidade!!

Começamos pela Catedral de Riga, esta catedral protestante foi construída em 1211 e é considerada a maior igreja medieval nos estados bálticos.

De seguida fomos até à linda Igreja de São Pedro.

A igreja de São Pedro foi construída em 1209 como uma igreja para o povo. Foi alargada no começo do século XV(1409) por Johann Rumeschottel de Rostock. A actual torre foi concluída em 1746. A igreja foi restaurada pela última vez em 1973. A torre foi atingida por relâmpagos seis vezes, e desmoronou em duas dessas ocasiões: em 1666 e novamente em 1721. Antes da Segunda Guerra Mundial era o mais alto edifício de madeira na Europa. Durante a Segunda Guerra Mundial o telhado e a torre foram danificados num incêndio. Depois da guerra, engenheiros soviéticos restauraram a igreja na década de 1970, e instalaram um elevador que ir ver a cidade de uma altura de cerca de 70m, e nós subimos lá cima! 🙂

Com o elevador, torna-se bastante mais fácil subir, e lá em cima, o Vitor já sem medos, passeou tranquilamente.

Do ponto mais alto de Riga, a vista para a cidade é de cortar a respiração!!

É uma cidade fantástica quer de Verão, quer de Inverno, como pude constatar falando com o amigo Mário Menezes, que nos deu dicas preciosas sobre esta e outras cidades. Ele esteve aqui em Janeiro, por altura do seu aniversário, com gelo e neve de sobra! Este nosso amigo, por altura do seu aniversário faz sempre uma grande viagem, coisa que nós também tentamos fazer sempre que pudemos! 😉

foto de Mário Menezes

foto de Mário Menezes

Queremos aqui deixar um agradecimento ao Mário, um grande amante de viagens, um grande benfiquista e acima de tudo um amigo sempre pronto a ajudar. Estas fotografias são da sua autoria e impressionam! Ele contou-nos que até o rio estava gelado!!

Descemos de coração cheio, realmente esta cidade é linda!! Queríamos ver tudo!! Decidimos ir até à praça da Câmara Municipal.

Mesmo ao lado nesta praça existe a Melngalvju Nams, ou Casa dos Cabeças Negras, um dos ex-libris de Riga. Inicialmente construída em 1344, foi destruída pelos bombardeamentos da 2ª Guerra Mundial e totalmente reconstruída entre 1999 e 2001. Quando foi construída, esta casa pertencia ao Grande Grémio dos comerciantes da Liga Hanseática. No século 15, a Irmandade dos Cabeças Negras – um grupo de comerciantes solteiros, que tinham como padroeiro São Maurício, que era negro – arrendaram e depois compraram esta casa, fazendo dela a sua sede. Situado na Praça da Câmara de Riga, este belo edifício de fachada gótica, é, hoje em dia, um pequeno museu e sala de concertos.

Aqui ficámos a saber que estão a acabar de construir um prédio na praça, que faz com que não se consiga ver na totalidade a Igreja de São Pedro, o que achamos lamentável. Esta praça é uma imagem de marca de Riga, assim estraga muito da sua mística… 🙁

Seguimos vagueando pelas ruas e ruelas, a cidade é limpa e linda!!

De seguida passámos pela Casa do Gato, um famoso edifício que possui a escultura de um gato preto empoleirado no topo do telhado. Lendas dizem que o escultor morreu ao cair do prédio no decurso de colocá-la no lugar. O dono da casa, um rico comerciante letão, encomendou a escultura após a sua adesão à câmara de comércio do outro lado da rua ter sido rejeitada. Inicialmente, o gato foi posicionado com sua cauda recta para cima voltada para a câmara. Tendo presente o insulto a que fora destinado a ser, membros do clube de comerciantes exigiram na justiça que o animal fosse desviado para uma posição menos ofensiva. Eles ganharam o caso, e o gato pode ser visto até hoje.

Era hora de almoço, decidimos entrar na melhor hamburgueria que estivemos até hoje!! Por aqui tudo é fácil, vamos entrar!!

Entrámos e pedimos o nosso almoço…

Mas esta casa tem um serviço único!! Quem quiser beber, pode ir servir-se, nas inúmeras máquinas com as mais variadas bebidas, desde vinhos tintos, inclusive portugueses, até vinho rosé Mateus, ou vinho do Porto, gin, brandy, cerveja e muitos mais!!

O processo é simples, basta pedir um cartão e ir buscar a quantidade de bebida que nos apetecer, só pagamos a quantidade que trazemos… Nós optámos por uma cerveja Leffe que estava deliciosa!

Em relação à comida, o nosso hambúrguer tradicional de Riga, foi comido de forma muito especial… 😉

Já de barriga composta, por ali ficámos mais um pouco, observando as pessoas e conversando um pouco !Na nossa frente estava uma menina a tocar, talvez à vinte minutos. Como estávamos a almoçar mesmo em frente, conseguimos perceber que a menina que estava a tocar era filha de uma senhora que tem uma loja mesmo em frente, e como gosta de tocar, aproveita e treina ali fora e ganha dinheiro… Esteve durante cerca de uma hora e voltou para a loja. Falando com a dona da loja ficámos a perceber tudo.

Infelizmente em milhares de locais turísticos no mundo, o que vemos são autênticas redes de exploração infantil montadas, o que nos deixa bastante triste, mas este felizmente, não era o caso. Depois de uma boa conversa com a mãe da menina, fomos comer um gelado ao parque da cidade!

O Bastejkalna Park é um lugar fantástico para passear e relaxar com a família… Saímos daqui, já com as energias repostas, passámos pela Torre de Pólvora, que originalmente fazia parte do sistema defensivo da cidade. A Torre de Pólvora foi reestruturada nos anos de 1937 a 1940, quando foi incluída na estrutura do Museu da Guerra da Letónia.

O nosso objectivo era caminhar em direcção ao rio, onde queríamos fazer um passeio de barco. Pelo caminho, passámos por várias ruas cheias de cor e vida..

E de mitos!! Como este do fantasma!! Sempre que passamos por esta rua temos de tocar no fantasma, senão poderemos ter azar na vida! 😀

Até que chegámos à linda igreja de Nossa Senhora das Dores, uma igreja católica romana que foi  construída em 1785.

Seguimos o nosso caminho em direcção ao rio, onde fizemos um cruzeiro de cerca de uma hora e meia, passeando pelas margens do rio e apreciando as vistas.

O passeio foi super tranquilo, passámos pela Torre da rádio, onde nas suas zonas circundantes, existem praias para as pessoas se banharem nas águas frias do rio e descansarem um pouco.

A nossa passagem por Riga estava a chegar ao fim, despedíamos-nos do barco e seguimos em direcção ao hotel. Tínhamos de ir buscar as mochilas!!

Já de mochilas ás costas, deixávamos Riga, uma cidade que adorámos!!

O nosso destino seria Vilnius, que distancia daqui cerca de 300kms e 4h de autocarro. Mais uma vez, o nosso Pedro (passageiro clandestino lol), teve de pagar o seu bilhete e conseguiu lugar! 😉

Vilnius esperava por nós perto da meia noite! Até já! 😀