Roadtrip pela Suíça – Zurique

Roadtrip pela Suíça – Zurique

15 Janeiro, 2019 4 Por Vitor Martins

A viagem à Suíça começou muito tempo antes da partida. Mais um vez o “gang” dos dezassete partia à descoberta de mais um lugar. Conseguimos viagens de avião a bom preço, reservadas com antecedência de mais de meio ano e depois tínhamos de alugar duas carrinhas de nove lugares e os hotéis nas várias cidades onde iríamos ficar.

A nossa ideia era fazer um trajecto desde Zurique a Genebra, passando pelas montanhas, e voltar a Zurique, fazendo um total de mil quilómetros de carro.

Até aqui tudo bem, mais uma vez eu iria ser o condutor de uma das carrinhas, sinceramente a minha vontade não era muita, pessoalmente não gosto muito de conduzir, mas se é para a aventura, vamos na aventura!!

Saímos do Porto numa manhã chuvosa e chegámos a Zurique, por incrível que pareça, com bastante sol, mas não sem antes, acontecer a primeira peripécia em viagem!! A primeira de muitas!!

Um dos membros do “gang”, responsável pela reserva das carrinhas, reservou com o cartão de crédito, ao chegarmos ao aeroporto, ela percebeu que não tinha trazido esse mesmo cartão, e decidiu voltar a casa para ir buscar com cartão, pois estava com medo que não aceitassem outro cartão.

O voo era às 7h da manhã, tínhamos chegado 1h45m antes, com bastante nevoeiro pelo caminho. Decidimos que eu e o Tó ficávamos à espera deles com os bilhetes e o resto do pessoal ia entrando…

O tempo foi passando, as pessoas todas em stress, nós cá fora, os restantes lá dentro, a cerca de 30m do avião sair, estava uma fila enorme no controle de segurança, a ansiedade apoderava-se de nós.

Cerca de 10m antes da porta de embarque encerrar, lá chegaram eles, entrámos e por sorte, não havia ninguém no controle . Fomos a correr e quando chegámos a porta de embarque, já só estava os restantes membros do “gang” em grande stress!!

Chegaram a questionar o que fazer se não chegássemos entretanto!! Estava visto que iria ser uma viagem memorável!

Depois do stress inicial, entrámos no avião e relaxamos até chegarmos a Zurique.

Antes de aterrarmos, fiquei a perceber que tenho por aqui muitos conhecidos! 😀

Chegámos então a Zurique, eu e a Ana já tínhamos estado na Suíça em 2012, mas apenas em Genebra e Lausanne.

Fomos então levantar as carrinhas e depois de muita confusão, com cartões e seguros, lá seguimos viagem para o centro da cidade.

O ponteiro da minha carrinha não ia bem cheio, mas decidimos seguir porque pensámos que o depósito não estaria bem cheio e como a regra é deixar o depósito como recebemos, fomos descansados.

Tínhamos tudo programado de forma a estacionar as carrinhas em parques, normalmente subterrâneos nas cidades, mais uma situação que se revelou uma verdadeira aventura. Os parques são estreitos e quase na medida da carrinha, para quem não está habituado a conduzir este tipo de carros, é uma aventura!

Chegámos então a um parque perto da estação central. Ainda era um pouco cedo, mas decidimos almoçar, para depois seguirmos para explorar a cidade. Foi logo aqui que tivemos o primeiro contacto com a realidade da Suíça.

Numa restaurante de “fast food”, um hamburguer custava cerca de 16 francos suíços!! 🙁

De barriga cheia e carteira vazia, lá fomos nós visitar a linda cidade de Zurique! 😀

Visitamos a estação central e seguimos em direcção ao rio Limmat!

A nossa intenção era ir visitar a igreja de Fraumunster. Que foi construída sobre os restos de uma antiga abadia de mulheres aristocráticas, fundada em 853 por Louis “O Alemão” e por sua filha Hildegard. Hoje, pertence à Igreja Evangélica do Cantão de Zurique e é uma das suas quatro principais igrejas.

Daí voltámos para a margem do rio, atravessando e passando pelas maravilhosas ruas e apreciando as suas lojas de chocolate.

Num ápice estávamos em Grossmünster!

Grossmünster quer dizer “grande ministro” e é uma igreja protestante estilo românico. É uma das quatro maiores igrejas da cidade, sendo as outras Fraumünster , Predigerkirche e St. Peterskirche. O núcleo do actual edifício, perto das margens do Limmat, foi construído no local de uma antiga igreja, que segundo a lenda, foi originalmente encomendada por Carlos Magno. A lenda ajuda a sustentar uma reivindicação de antiguidade sobre a Fraumünster, fundada por Louis, neto de Carlos Magno. Evidências arqueológicas recentes confirmam a presença de um cemitério romano no local. A sua construção, presume-se, começou por volta de 1100 e foi inaugurada em 1220.

De lá conseguimos avistar a igreja de Fraumünster. 🙂

E foi com a igreja em pano de fundo, que tirámos a fotografia de grupo em Zurique! 😀

O tempo por Zurique estava a ficar curto, ainda tínhamos de visitar a rua mais famosa de Zurique, a Bahnhofstrasse.

Antes voltámos a passar pela ponte sobre o rio, para apreciar as esplendorosas vistas!

Já na outra margem do rio, demos com esta linda praça..

No caminho para a Bahnhofstrasse, fomos apreciando as montanhas cobertas de neve ao fundo! 🙂

Na Bahnhofstrasse, estão todas as lojas de marcas mais importantes no mundo da moda a nível mundial.

A rua e bastante movimentada pela sua localização central na cidade, foi só uma passagem, porque o nosso dia por Zurique estava a acabar, tínhamos de ir para outro lugar, não menos especial, mas fica para um novo artigo!

Até daqui a quatro dias Zurique! 🙂