Vilnius – Lituânia

Vilnius – Lituânia

21 Setembro, 2018 13 Por Vitor Martins

Chegámos a Vilnius por volta das 23h. Na estação tudo estava calmo. Decidimos chamar um Uber para nos levar até ao nosso hotel. Com a aplicação da Uber sabemos onde o carro está, quando tempo demora, que carro é, temos a identificação do condutor e sabemos o preço que nos vão descontar no cartão de crédito.

Nós ficámos à espera ao lado de uma praça de táxis, esperamos pelo carro, mas o carro dizia que já estava no local. Depois do condutor nos ligar, e nos dizer onde estava, que era por detrás da estação, mas mais de lado, ficámos a perceber que por aqui também existem grandes problemas com o serviço Uber, um assunto tão em voga neste momento em Portugal.

O condutor disse para irmos ter com ele, nós deslocámos-nos cerca de 150m e lá estava ele do outro lado. Sem nunca nos dizer o porquê, seguimos viagem. Era uma pessoa muito simpática, falava muito bem inglês e então contou-nos que está reformado e a Uber é um extra, muito bem pago, disse ele, e que já serviu inclusive para ir de férias duas vezes a Portugal.

Como não tínhamos jantado, perguntamos se conhecia algum supermercado aberto às 23h20… Ele prontamente respondeu: aqui existem supermercados abertos 24 horas por dia!! Nós nem queríamos acreditar… Quando chegámos ao supermercado, por volta das 23h30 estava cheio de gente!! Entrámos e vimos pessoas a fazerem as suas compras normais do dia-a-dia até bem depois da meia noite!! Primeiro estranha-se depois entranha-se! 😀

Uma curiosidade é a de que, estes supermercados a partir das 20h não vendem bebidas alcoólicas, estão proibidos por lei.

Por cá vimos também muitos vinhos portugueses!!

Chegámos então ao nosso hotel por volta da 0h30 para descansar um pouco. O dia seguinte era o dia de explorar a cidade de Vilnius!

O nosso hotel está inserido num conjunto de vivendas e adorámos a nossa estadia por cá.

O quarto é espaçoso, limpo e muito confortável!

Bom, chegou a hora de irmos conhecer a cidade de Vilnius!!

Por aqui tudo é tranquilo!! A nossa ideia era percorrer a cidade toda a pé, ela é muito plana e de fácil deslocação. Mesmo ao lado do nosso hotel, está a Igreja de Santa Ana e foi para lá a nossa primeira paragem.

A Igreja de Santa Ana é uma igreja católica romana, está situada na margem direita do rio Vilnia e é um exemplo proeminente dos estilos Gótico Flamboyant e Gótico Tijolo e mesmo ao seu lado existe a Igreja de São Francisco e São Bernardo, também uma igreja católica romana, dedicada aos santos Francisco de Assis e Bernardino de Siena, um importante exemplo da arquitectura gótica na Lituânia.

A matriarca da família estava em êxtase!! No seu pensamento, Santa Ana não poderia ser um local melhor!

Seguimos em direcção ao Rio Vilnia, onde existem vários locais para relaxar… 🙂

Por aqui podemos brincar e descansar várias vezes ao longo dos dias que passámos por cá! Existe também um parque verde enorme, onde vimos dezenas de famílias a relaxar… 😀

O Pedro, não podia estar melhor!

Seguimos para o centro da cidade, passando pela linda Universidade de Vilnius…

De seguida passámos pelo “Literatu”, a rua da Literatura, uma pequena rua pedestre onde há uma exposição ao ar livre dedicada aos escritores e artistas em geral. Mais logo queríamos voltar para apreciar melhor esta linda homenagem.

O nosso objectivo era ir visitar a Catedral de Vilnius, um dos monumentos mais importantes da cidade. Construída em 1783, em estilo barroco, substituiu um templo pagão que existia no local. Posteriormente, o arquitecto Laurynas introduziu o estilo classicista francês e somou elementos que lembravam os templos gregos, como as suas colunas. O resultado disso é um maravilho prédio branco enfeitado com esculturas, colunas e tectos decorados. No altar-mor, decoração em ouro e prata, e na belíssima cripta, encontra-se o fresco mais antigo da Lituânia, datado do século XIV. Foi fechada pelos soviéticos em 1950 e usada como garagem dos camiões do exército. Posteriormente, foi transformada em galeria, mas, com o processo de independência da Lituânia, voltou a ser Catedral, por volta de 1989. É um dos lugares mais fantásticos que estivemos até agora nesta inesquecível viagem. 🙂

À frente da Igreja, fica o magnífico campanário, também em cor branca e com andares com janelas. É possível subir até ao topo, para se ter uma bela vista da praça e da cidade. Desta vez, o Vitor teve a companhia da Ana, para subir o campanário e apreciar as vistas para a bela cidade de Vilnius.

O dia já ia longo, era hora de almoço. Fomos degustar um pouco da comida da Lituânia…

Eu comi dois Zeppelin (tem este nome pelo formato), é feito com batatas raladas, recheadas com carne picada, servidos com molho de creme de leite e bacon.

A Ana e o Vitor comeram umas panquecas de batata, umas com salmão fumado, outras com bacon e o molho de creme de leite.

No fim do almoço, descansámos um pouco mais no parque ao lado da Catedral, o calor era muito por esta hora. Seguimos até ao Palácio dos Grão-Duques da Lituânia, foi originalmente construído no século XIV para os governantes do Grão-Ducado da Lituânia e os futuros reis da Polónia. O palácio, localizado no Castelo inferior de Vilnius, evoluiu ao longo dos anos e prosperou durante os séculos XVI e XVII.

Mesmo ao lado existe o Castelo superior, que tem a torre de Gediminas, o que resta do castelo. As primeiras fortificações de madeira foram construídas por Gediminas, grão-duque da Lituânia. O primeiro castelo de tijolos foi concluído em 1409 pelo grão-duque Vytautas.

Daqui seguimos via Uber, até às Portas da Madrugada!! Deixávamos a zona nova para entrarmos no coração da cidade velha.

As Portas da madrugada é a porta da cidade, e é um dos monumentos mais importantes, seja pelo aspecto religioso, histórico ou cultural, foi construída em 1503. Logo abaixo existe a igreja de Santa Teresa, uma das mais bonitas da cidade e é aqui que o Papa Francisco vai passar em Setembro aquando a sua visita a alguns países do Báltico. 🙂

Ao lado existe a igreja ortodoxa russa São Paraskeva. O edifício actual, criado por Nikolai Chagin, é de 1865. Fechado durante o período soviético, hoje está ao serviço da Igreja Ortodoxa Russa.

Um pouco mais abaixo existe Igreja de St. Casimir, a primeira igreja barroca da cidade. Foi construída em 1604 e reconstruída e reformada ao longo dos anos.

Um pouco ainda mais abaixo, a magnífica porta do Mosteiro de Basilian…

Estávamos boquiabertos com tanto património… Esta cidade estava-nos a surpreender bastante.

Mesmo nesta zona central da cidade, encontrámos um restaurante bem português, o Galo do Porto! 🙂

Foi por aqui que degustámos uma das muitas cervejas típicas do país…

E podemos também provar vários pratos típicos portugueses.

O dia já ia longo, mas passámos ainda na Câmara Municipal.

Por aqui anoitece muito mais cedo, por volta das 21h saímos para um passeio nocturno fantástico… A noite estava muito agradável, fomos passear pela Catedral que durante a noite tem ainda mais encanto!

Seguimos a pé até a Igreja de Santa Ana, apreciar aquela que para nós é, a mais bela obra de arte de Vilnius… Magnífica! 😉

O dia tinha sido longo, mas mesmo muito enriquecedor, Vilnius estava a entrar nos nossos corações. Queríamos passar ainda na linda rua da Literatura e apreciar as bonitas homenagens feitas na parede a muitos homens e mulheres que nos abriram as portas para que olhássemos o mundo e o que o compõe de outras formas… ler exercita a mente! 😉

Era hora de descansar, amanhã seria mais um dia de grandes emoções por aqui…

Acordámos cedo, tomamos um belo pequeno almoço e voltámos para o centro histórico da cidade.

Por aqui parece que estamos num mundo à parte… a cidade transmite muita paz.

Por volta da hora de almoço, muitas bandas tocam à porta dos restaurantes para chamar as pessoas para lá. 😀

Foi aqui perto, que tivemos mais um episódio bastante caricato na viagem. Fomos a uma loja comprar uma lembrança, mas a pessoa não tinha troco para a única nota que tinha. Tinha moedas mas ficava a faltar um euro. A senhora, prontamente, saiu da caixa, foi buscar a sua carteira, tirou um euro, e disse: “eu pago, não se preocupe”… 🙂

Fiquei um bocado baralhado, mas ela é que sabia o que estava a fazer. Peguei na lembrança e vim me embora agradecendo.

Decidimos passear pelas lindas ruas da cidade, estava um tempo ameno e bastante agradável para isso!

Depois do almoço, iríamos visitar o Museu das Vítimas do Genocídio e tínhamos de estar preparados…

A tarde foi passada a visitar o Museu que deixaremos para outro artigo. É de facto horrível ver o que nós vimos, nem queremos pensar o que seria passar por isso… 🙁

Saímos daqui meio “atordoados” e fomos descansar um pouco…

No dia seguinte partimos para a Varsóvia na Polónia, naquela que seria a nossa última paragem antes de regressar a Portugal. Esta viagem, de cerca de 9h, iria parar em quatro estações antes de chegar. Seria uma longa jornada e um teste a resistência do nosso filho mais novo, com uma agravante, como não tínhamos tirado o bilhete antes, poderíamos ter de o levar ao colo a viagem inteira. 🙁

A distância são cerca de 600kms, porque o autocarro tem de fazer um desvio para não passar na Bielorrússia.

Despedíamos-nos então da bela cidade de Vilnius!

Tivemos sorte, conseguimos tirar o bilhete ao Pedro com lugar! 😀

O problema surgiu cerca de 2h depois, aquando da nossa paragem em Kaunas. Entraram várias pessoas, e ao início tivemos de nos separar, mas passado um pouco, lá conseguimos perceber que dava para fazer uma troca com uma rapariga que ia ao meu lado, para o lugar que eu tinha marcado que estava vazio. Tudo acabou em bem. 🙂

O Pedro dormiu, cantou, chorou, brincou e meteu dezenas de vezes com as duas meninas que estavam no banco detrás dele… 😀

6h depois, entrávamos na Polónia e logo encontrámos um supermercado com raízes portuguesas!

Até sempre Lituânia! <3